sexta-feira, 18 de abril de 2008

NENECA


Meu Sertão
Meu sertão Nordestino
Tão forte, mas tão sofrido
Enfrenta firme seu destino
Pelo o céu é assistido.
Seu clima diversificado
De heterogênea vegetação
Pela seca maltratado
Na paisagem, há mutilação.
O sertanejo em preces clama
Pra Deus ouvir o seu lamento
Acender de novo sua chama
Mandar chuva naquele momento.
Enfrenta as adversidades
Com muita determinação
Desenvolve habilidades
Criadas pela imaginação.
A chuva cai, renasce o sertão
No solo fértil brota semente
Crescendo verdejante a plantação
Vida feliz, no oásis novamente.
(Neneca)
João Pessoa, 15/04/08

2 comentários:

Mell Glitter disse...

Nenequinha é uma flor de pessoa!Como gosto dessa "menina"!!

Neneca Barbosa - Um ser humano em evolução! disse...

Obrigada Graciela por postar mais uma poesia minha.
Seu Blog está belo. Muitos poetas maravilhosos.
E você Mell, sempre com seus mimos.
Adoro você amiga e esse seu jeito de criança.
Um grande beijo para as duas.