domingo, 1 de junho de 2008

Jenário de Fátima


"Despedida"
Alguns amores mesmo sendo intensos,
São carregados de fragilidade.
Como se o Adeus viesse abanar lenços
Mostrando enfim que tudo é efemeridade.
E os sentimentos, claros, fortes, densos
Duvidam que aquilo seja verdade
Enquanto os amantes ficam ali propensos
A discutir o que é ilusão, o que é realidade.
Mas que bom que nada disso fosse assim.
E que cada dia fosse sempre um recomeço
E que jamais houvesse a palavra fim.
E os dois se lembrassem que é fugaz a vida
Pois amor nenhum sabe ao certo o preço.
O preço que se cobra uma despedida
(Jenário de Fátima)

1 comentários:

rrigleia disse...

apaixonei pela mensagem de despedida