sábado, 17 de maio de 2008

Para a manhã




Rosa acordada, que sonhaste?

Nas pálpebras molhadas vê-se ainda

Que choraste...

Foi algum pesadelo?

Algum presságio triste?

Ou disse-te algum deus que não existe

Eternidade?

Acordaste e és bela:

Vive!

O sol enxugará esse teu pranto

Passado.

Nega o presságio com perfume e encanto!

Faz o dia perfeito e acabado!

In "Nihil Sibi" de Miguel Torga