sábado, 17 de maio de 2008

BERNADETTE MOSCARELI


Poema para uma mulher azul
(Graciela)
Ela é a música e a alegria de um lugar que não se esquece.
Seu corpo nasce na noite que a minha fogueira alimenta.
No berço de sua palavra uma partitura é lembrada como um pássaro que se vê.
É sua semente a explosão em branco que toca a onda.
Clara como uma jazida de fogo, o seu minério se expande, concentra, cria e recupera
em suas mãos as fontes do tempo: em sua ciência todo sonho é matéria para um novo espírito.
Ela é a chuva, a casa, a mulher e a criança. Veste-se em tudo sua alegria que vibra,
e em cada corda de sua beleza um mesmo instrumento canta seu júbilo.
Peixes e estrelas desceram da noite para iluminar sua passagem. Para o dia que nasce
ela é o peito e a voz que declara a vida.
O seu corpo é amor, e assim é toda verdade.
(Weydson Barros Leal )

1 comentários:

Renata Cordeiro disse...

Muito lindo. Estou sem palavras.
Dê uma passada no meu blog:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com/
não há ponto depois de www
Renata Cordeiro