terça-feira, 22 de abril de 2008

Álvaro de Campos


Não
Não: devagar.
Devagar, porque não sei
Onde quero ir.
Há entre mim e os meus passos
Uma divergência instintiva.
Há entre quem sou e estou
Uma diferença de verbo
Que corresponde à realidade.
Devagar...
Sim, devagar...
Quero pensar no que quer dizer
Este devagar...
Talvez o mundo exterior tenha pressa demais.
Talvez a alma vulgar queira chegar mais cedo.
Talvez a impressão dos momentos seja muito próxima...
Talvez isso tudo...
Mas o que me preocupa é esta palavra devagar...
O que é que tem que ser devagar? ...
(Álvaro de Campos)

1 comentários:

claudyocarvalho disse...

Devagar sozinho andei
devangando em bares
em praças em lares,
gavarosamente o dia foi chegando,
bem degavar
a noite passa lenta
e eu aqui, lendo devagar.