domingo, 15 de novembro de 2009

FIM DA ILUSÃO


FIM DA ILUSÃO

Não encostes em mim
teu corpo morno!
não posso mais voar
por dentro do teu sangue
ou te ensinar o espaço
por cima das montanhas
entre folhas brancas
e indomáveis desejos
dentro dos muros
do jardim invisível.
Embriagou-me de nostalgia
o vinho que não provei
e o desejo é um relâmpago
que perturba o luar...
(Ana Wagner)

1 comentários:

Ismália Carpe Diem disse...

Olá!!!
Estava procurando bons blogs pra seguir e achei esse blog lindo!*-*
Meus parabéns!
Textos lindos!
Beijos!