sábado, 6 de dezembro de 2008

Ataídes Lemos


Natal; ontem e hoje.

Natal; troca de presentes,
Festas, bebidas, almoços.
Confraternização, meditação.

Relembrando um pouco a história
Uma família, numa cidade,
Uma mulher grávida
Já na hora do parto se encontrava
Porem, todas as portas fechadas.
Numa estrebaria
Local que encontraria
Para aquela noite passar
Em um berço improvisado
Foi o único local achado
Para o recém-nascido ser colocado.

Dois mil anos passados
Como a história é viva!
Ainda vemos isto ocorrer
Em nosso dia a dia

Natal é festa, é alegria
Afinal nasceu o Salvador
Aquele que é o libertador,
Veio ser a Luz
Para um povo que precisa de alguém que o conduz.

Natal é festa, é alegria,
Mas é grande reflexão
Para todos que se dizemos cristãos.
(Ataíde Lemos)

1 comentários:

Ataíde Lemos disse...

olá minha grande amiga poetisa é sempre uma honra ler meus poemas em seu blog. Um forte e carinho abraço de amigo também das letras que muito te admira.

Ataíde Lemos